Confira: o que é e como fazer a sua gestão de compra de auto peças

Muitos gestores e empreendedores do setor de reparação não sabem como colocar preço na mão de obra da oficina e acabam cobrando pouco ou exagerando, o que pode levar a prejuízos e perda de clientes. Essa é uma etapa muito importante na gestão de um negócio e costuma ser uma das razões do fraco desempenho das oficinas que prestam serviços, como as de funilaria.

Ao longo deste texto você aprenderá a calcular um preço de mão de obra que seja justo para você e seu cliente, o que vai melhorar o desempenho da sua oficina. Continue com a gente e torne sua oficina ainda mais competitiva!

Saiba a quantidade de horas necessárias para realizar o serviço e quais equipamentos serão usados

Ter um bom sistema de gestão em uma oficina é fundamental para que você saiba o que acontece no dia a dia, quais processos precisam ser melhorados e, principalmente, quanto tempo é necessário para que um determinado serviço seja realizado. Essa é uma das questões mais importantes na hora de colocar preço na mão de obra.

A forma mais simples de calcular esse preço é multiplicar o tempo necessário para realizar uma tarefa por um valor predeterminado — conhecido como custo de hora trabalhada. Dessa forma, é possível chegar a um valor justo para seu cliente sem que haja prejuízo para a oficina.

Se o custo da hora trabalhada de um determinado funcionário for de R$ 50 e ele tiver de realizar um serviço que tenha duração de 10 horas, o valor total da mão de obra é R$ 500. Ficou um pouco confuso? Não se preocupe! Continue com a leitura e você vai ver como é simples fazer essa conta.

Entenda o custo da hora trabalhada

O custo da hora trabalhada deve considerar itens como aluguel, água, luz, salário do funcionário encarregado do serviço e manutenção dos equipamentos, entre outros. Aliás, é muito importante levar em conta quem vai realizar a tarefa. Colaboradores mais capacitados costumam ganhar mais e isso influencia no preço.

Se você gasta R$ 10 mil mensais — incluindo o salário — e seu funcionário fica na empresa por 200 horas — 10 horas ao dia, de segunda a sexta-feira —, basta dividir as despesas pelo tempo em trabalho. Para esse exemplo, o custo da hora trabalhada é de R$ 50. Faça isso para cada colaborador da empresa.

Pesquise sobre os valores praticados pelo mercado

Uma vez que você já conheça o custo para realizar um serviço, é só definir qual será a sua margem de lucro. Porém, tome cuidado e pesquise o valor que outras empresas praticam! Uma das formas de fidelizar e conseguir mais clientes são preços melhores, e cobrar valores muito acima dos praticados pelo mercado não ajuda.

Ser generoso demais também não é aconselhável. Se você cobra pouco, pode passar a ideia de um serviço de má qualidade e, se houver algum imprevisto, os custos vão aumentar. Quando isso acontece, seu lucro diminui e, em alguns casos, é possível que ocorram prejuízos.

Agora que você já sabe como colocar preço na mão de obra da oficina, ponha em prática tudo o que aprendeu. Pode até parecer um pouco trabalhoso, mas, com certeza, os resultados vão ser percebidos rapidamente e sua empresa vai se destacar no mercado.

Gostou das dicas? Então, siga nossas redes sociais e tenha acesso a muitos conteúdos interessantes! Estamos no Twitter, Facebook e Linkedin.

Como colocar preço na mão de obra da oficina? Aprenda aqui!

Muitos gestores e empreendedores do setor de reparação não sabem como colocar preço na mão de obra da oficina e acabam cobrando pouco ou exagerando, o que pode levar a prejuízos e perda de clientes. Essa é uma etapa muito importante na gestão de um negócio e costuma ser uma das razões do fraco desempenho das oficinas que prestam serviços, como as de funilaria.

Ao longo deste texto você aprenderá a calcular um preço de mão de obra que seja justo para você e seu cliente, o que vai melhorar o desempenho da sua oficina. Continue com a gente e torne sua oficina ainda mais competitiva!

Saiba a quantidade de horas necessárias para realizar o serviço e quais equipamentos serão usados

Ter um bom sistema de gestão em uma oficina é fundamental para que você saiba o que acontece no dia a dia, quais processos precisam ser melhorados e, principalmente, quanto tempo é necessário para que um determinado serviço seja realizado. Essa é uma das questões mais importantes na hora de colocar preço na mão de obra.

A forma mais simples de calcular esse preço é multiplicar o tempo necessário para realizar uma tarefa por um valor predeterminado — conhecido como custo de hora trabalhada. Dessa forma, é possível chegar a um valor justo para seu cliente sem que haja prejuízo para a oficina.

Se o custo da hora trabalhada de um determinado funcionário for de R$ 50 e ele tiver de realizar um serviço que tenha duração de 10 horas, o valor total da mão de obra é R$ 500. Ficou um pouco confuso? Não se preocupe! Continue com a leitura e você vai ver como é simples fazer essa conta.

Entenda o custo da hora trabalhada

O custo da hora trabalhada deve considerar itens como aluguel, água, luz, salário do funcionário encarregado do serviço e manutenção dos equipamentos, entre outros. Aliás, é muito importante levar em conta quem vai realizar a tarefa. Colaboradores mais capacitados costumam ganhar mais e isso influencia no preço.

Se você gasta R$ 10 mil mensais — incluindo o salário — e seu funcionário fica na empresa por 200 horas — 10 horas ao dia, de segunda a sexta-feira —, basta dividir as despesas pelo tempo em trabalho. Para esse exemplo, o custo da hora trabalhada é de R$ 50. Faça isso para cada colaborador da empresa.

Pesquise sobre os valores praticados pelo mercado

Uma vez que você já conheça o custo para realizar um serviço, é só definir qual será a sua margem de lucro. Porém, tome cuidado e pesquise o valor que outras empresas praticam! Uma das formas de fidelizar e conseguir mais clientes são preços melhores, e cobrar valores muito acima dos praticados pelo mercado não ajuda.

Ser generoso demais também não é aconselhável. Se você cobra pouco, pode passar a ideia de um serviço de má qualidade e, se houver algum imprevisto, os custos vão aumentar. Quando isso acontece, seu lucro diminui e, em alguns casos, é possível que ocorram prejuízos.

Agora que você já sabe como colocar preço na mão de obra da oficina, ponha em prática tudo o que aprendeu. Pode até parecer um pouco trabalhoso, mas, com certeza, os resultados vão ser percebidos rapidamente e sua empresa vai se destacar no mercado.

Gostou das dicas? Então, siga nossas redes sociais e tenha acesso a muitos conteúdos interessantes! Estamos no Twitter, Facebook e Linkedin.

Confira 4 dicas de como reduzir custos em sua oficina de reparação

Em um mundo cada vez mais competitivo, a atenção aos detalhes é essencial para garantir o crescimento de uma empresa. Para quem atua no setor de reparação, reduzir custos em oficina é um dos itens que fazem muita diferença quando as contas no final do mês são fechadas, principalmente em épocas com pouco trabalho.

Ao longo deste post, você conhecerá 4 dicas bem importantes que ajudarão a reduzir os custos em sua oficina sem prejudicar a qualidade dos serviços e o atendimento ao cliente. Continue com a gente!

1. Automatize processos

A tecnologia está muito presente em nosso dia a dia. Estamos conectados o tempo inteiro, temos acesso a informações quase que instantaneamente e não há motivo para não usá-la na sua empresa. Automatizar processos é uma excelente forma de aperfeiçoar o desempenho de uma oficina e reduzir custos.

Quando falamos em automatizar, não significa, necessariamente, comprar equipamentos caros. Um aplicativo/sistema de controle de estoque que indique quando um produto ou insumo está em falta é um modo de evitar desperdícios e melhor, em muitos casos, não há custo algum.

2. Evite desperdícios

O desperdício de materiais, tempo de mão de obra e energia elétrica são os maiores vilões quando o assunto é economizar. Toda oficina precisa ser organizada, tanto financeiramente quanto fisicamente. Sem isso, você perde muito tempo realizando uma tarefa e, como se costuma dizer, tempo é dinheiro.

Procure por aplicativos para controle financeiro e de estoque, organize os equipamentos de forma adequada e verifique se não existe desperdício de energia elétrica com máquinas ligadas sem necessidade. Em uma oficina, elas costumam ser robustas e, se ficam ativas desnecessariamente, gastam e consomem o seu lucro.

3. Acompanhe os custos

Outra dica muito importante é acompanhar os custos — principalmente com material. Um bom sistema de gestão de fornecedores pode ajudar bastante a economizar. Lembre-se que tudo muda muito rapidamente e, se você não pesquisar por insumos mais baratos e com qualidade constantemente, poderá pagar mais caro por um produto inferior.

Uma boa forma de comprar materiais de qualidade pelo menor preço é fazendo uso de plataformas online, pois facilita para entrar em contato com diversos fornecedores. A economia pode chegar a até 20% e, além disso, você consegue isso com todo o conforto, até mesmo da sua casa.

4. Mantenha equipamentos e ferramentas em ordem

Para que você economize, é preciso gastar um pouco. Essa dica pode até parecer estranha, mas é muito importante. Equipamentos velhos e mal conservados podem aumentar o consumo de energia e o tempo para realizar uma tarefa, fazer com que um serviço precise ser refeito e, até mesmo, afastar alguns clientes, principalmente se afetarem a qualidade do trabalho.

Mantenha a manutenção dos equipamentos e ferramentas em dia e, sempre que possível, invista em novas tecnologias. Sempre surgem máquinas mais modernas, que fazem um serviço melhor e com um gasto bem menor. Dessa forma, é possível levar mais qualidade ao seu cliente pelo mesmo preço.

Reduzir custos em oficina é uma das melhores formas para manter a sua empresa competitiva e, como você viu, não é tão complicado. Quando se gasta menos é possível oferecer preços melhores e, com toda a certeza, isso atrai mais clientes.

Gostou do post? Então, não perca tempo e comece a colocar em prática tudo o que aprendeu hoje! Mas antes, não deixe de ler nosso artigo sobre os benefícios da tecnologia em uma oficina e veja como você pode melhorar o seu negócio!

Quais são as maiores diferenças entre lucratividade e rentabilidade?

Saber as principais diferenças entre lucratividade e rentabilidade é fundamental para estabelecer uma gestão eficiente de uma oficina. Isso porque os dois conceitos apresentam diferenças importantes, que precisam ser levadas em consideração na hora de tomar decisões.

Para ajudá-lo a entender melhor esses dois conceitos, apresentamos, a seguir, as definições de cada um deles, assim como a importância de realizar os devidos cálculos na hora de tomar as melhores decisões. Confira!

O que é lucratividade?

A lucratividade tem como base a receita total gerada por determinado produto ou serviço, assim como o lucro líquido obtido. Nesse sentido, esse indicador é muito importante, já que serve como base para apontar se as vendas realizadas estão sendo suficientes para cobrir os gastos com mão-de-obra, impostos, matéria-prima, estrutura, aluguel, despesas e demais custos necessários.

Em negócios que tem vida útil curta, a lucratividade acima da média é essencial para se alcançar o sucesso, pois ela é quem garante que o investimento valeu a pena. Para exemplificar, podemos pensar em feiras de determinados setores, eventos, festas e desfiles de moda etc.

Como calcular a lucratividade?

Para calcular a lucratividade do negócio é preciso achar o percentual que indica os ganhos sobre os negócios concretizados. A fórmula usada para atingir esse resultado é:

Lucro líquido ÷ Receita Bruta = Lucratividade

Calcular a lucratividade é importante, pois serve para demonstrar os ganhos de determinado momento, facilitando assim o planejamento de ações por um período específico de tempo, que pode ser mensal, trimestral, semestral, anual etc. Também é possível identificar pontos a serem corrigidos, assim como alinhar a estratégia sempre que for necessário.

O que é rentabilidade?

Enquanto a lucratividade indica se o negócio está sendo viável ou não, de acordo com a diferença entre os ganhos e os gastos, a rentabilidade é um indicador que aponta o percentual de retorno que a empresa obtém sobre o investimento realizado. Nesse sentido, a rentabilidade de uma empresa deve ser calculada preferencialmente conforme um período de longo prazo, apesar de que também pode ser obtida mensalmente.

Como calcular rentabilidade?

A rentabilidade de um negócio é apresentada em percentual. Ela pode ser obtida a partir da seguinte fórmula simples:

Lucro líquido ÷ Investimento total = Rentabilidade

O conceito de rentabilidade pode ser associado ao retorno que o investimento tem de acordo com as possibilidades apresentadas. Mensurar os retornos e seus potenciais de ganhos é fundamental para manter a competitividade no mercado e se consolidar como uma referência no ramo de reparação e estética automotiva. Com conhecimento e dedicação, o gestor pode alcançar bons resultados e promover o crescimento da oficina!

Neste artigo, falamos sobre as diferenças entre lucratividade e rentabilidade, assim como da importância de entender bem cada um desses conceito a fim de otimizar os recursos, potencializar os ganhos e fortalecer a competitividade da sua oficina no mercado de reparação. Com conhecimento e foco nos resultados, é possível obter excelentes retornos!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário e nos diga o que você achou. Será um prazer saber a sua opinião!

E não se esqueça de se inscrever no nosso Blog para ser um dos primeiros a receber nossos artigos!

Gestão financeira para oficinas: Como usar?

Você conhece todos os gastos mensais da sua oficina? Sabe o quanto há de capital de giro disponível? Uma gestão financeira para oficinas eficiente é fundamental para o dono que deseja aumentar o faturamento e melhorar os resultados do seu negócio. Embora essa missão pareça complexa inicialmente, é possível controlar a área com alguns passos simples.

Quer saber como melhorar sua gestão financeira? Neste artigo, vamos dar algumas dicas para você ter as finanças da oficina sob controle. Continue a leitura!

A importância da gestão financeira para oficinas

A área financeira é o coração de qualquer empresa. Essa gestão é a união de técnicas, métodos e decisões sobre os recursos econômicos, que impactam no funcionamento e na capacidade de crescimento do negócio. Cabe ao dono estar por dentro de todas essas informações sobre a oficina.

Alguns fatores são fundamentais para ter uma gestão financeira de qualidade, como a atualização do fluxo de caixa, o estabelecimento de metas para projetar o crescimento da empresa e o foco no volume de vendas, entre outros. Esse controle garante uma boa saúde às finanças da oficina.

Dicas para melhorar a gestão financeira do seu negócio

Apesar de parecer complexo em um primeiro momento, realizar uma boa gestão das finanças ficará mais simples com as dicas abaixo. Confira para não cometer erros!

Analise o fluxo de caixa

O fluxo de caixa registra todas as movimentações financeiras da empresa, ou seja, as entradas e saídas da oficina. Ele deve ser atualizado diariamente e analisado com frequência (mensal, trimestral ou semestralmente, por exemplo), com o fim de ampliar sua visão quanto às finanças do negócio.

Com essa atualização frequente, você vai conhecer os possíveis prejuízos com maior agilidade e trabalhar para revertê-los. O dono também pode analisar quais serviços são mais vantajosos ou deficitários, além de encontrar maneiras de economizar e diminuir os gastos da empresa.

Planeje o crescimento da oficina

Com o fluxo de caixa atualizado, é possível estabelecer metas e projetar a expansão da oficina para os meses seguintes. Porém, tais pontos devem ser viáveis, como um aumento de cinco consertos nos próximos 30 dias ou a criação de um novo serviço até o final do ano.

Essa projeção é mais fácil de ser realizada por quem tem um comando mais próximo da oficina, ou seja, sabe tudo o que acontece na gestão do negócio. Com as metas definidas, é preciso realizar uma análise posterior, para saber se elas foram cumpridas ou não e entender o que aconteceu.

Firme parcerias com os fornecedores

Utilizar peças e materiais de qualidade é um dos requisitos para prestar um atendimento de excelência. Nesse sentido, os fornecedores têm papel fundamental na oficina, já que são responsáveis por revender os produtos diretamente ao dono. É importante cultivar essa relação e criar uma parceria entre as duas partes, o que será benéfico para todos.

Com o planejamento da oficina feito, que inclui cadastrar todos os itens do estoque e projetar as quantidades necessárias para o período seguinte, o gestor pode negociar a compra das peças com melhores condições. Com um fornecedor de confiança, você será capaz de conseguir descontos e outras vantagens, como brindes e amostras grátis.

Atente ao ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio é o valor que a empresa precisa faturar para pagar todos os seus gastos, não ficando no vermelho. Só é possível conhecer essa quantia se houver o registro completo de todos os custos fixos e variáveis — e um planejamento correto.

Caso o negócio não atinja esse ponto, é importante ligar o sinal de alerta e entender o motivo. Também é recomendado comparar tais custos às metas estabelecidas, a fim de verificar se é preciso diminuir os gastos para melhorar os resultados da oficina.

Realize uma boa gestão de clientes

Seus clientes são os responsáveis pelo seu faturamento. Assim, é necessário pensar em ações para captar novos consumidores e fidelizar aqueles que frequentam a oficina. Isso significa estabelecer maneiras de melhorar e personalizar o atendimento, aumentando a satisfação do público.

Existem softwares e planilhas que demonstram a quantidade de novos clientes e a retenção dos antigos. Além disso, há a possibilidade de divulgar seus serviços nas redes sociais, o que cria uma proximidade com os compradores. Uma boa experiência do cliente é vital para aumentar o número de negócios e melhorar o fluxo de caixa da oficina.

Invista em tecnologia

Todos os pontos listados neste artigo têm algo em comum: podem ser otimizados com a tecnologia. Investir em tal área proporciona um ganho de eficiência e produtividade, já que algumas tarefas que seriam realizadas manualmente são automatizadas. Esse é o caso do fluxo de caixa e do controle de estoque.

Ter processos bem definidos impacta diretamente na qualidade do serviço prestado e diminui a chance de erros ou atrasos. Com clientes mais satisfeitos, a chance de fidelizá-los e conquistar novos consumidores é maior. Ou seja: haverá um aumento dos lucros e o crescimento da oficina.

Os principais erros financeiros das oficinas

Em tempos de crise, o número de empresas com prejuízos é crescente. Um dos principais motivos é a falta de uma gestão eficiente, que não estuda o mercado e não faz uma análise de seus concorrentes. Além disso, com o caixa desorganizado, a oficina gasta mais do que recebe, o que se transforma em um ciclo difícil de ser reparado.

A desatenção quanto ao capital de giro é outro erro comum. Trata-se do valor necessário para a empresa honrar seus compromissos e continuar funcionando. Mesmo que a oficina esteja com um bom número de vendas, é indispensável separar parte delas para os custos, como salários e contas. Devido aos juros, as dívidas podem complicar a saúde financeira do negócio.

Esse cuidado com a gestão financeira é o primeiro passo para a conquista de melhores resultados e a projeção do crescimento da oficina. Uma boa organização garante uma captação maior de clientes e um atendimento mais personalizado, focado na satisfação e na fidelização dos consumidores. Com as dicas acima, fica mais fácil alcançar esses objetivos.

Gostou de saber mais sobre a gestão financeira para oficinas? Então, Inscreva-se aqui e receba nossos artigos no seu email. Curta também nossa página no Facebook para receber mais atualizações sobre o assunto!

Aprenda a cadastrar oficina em seguradora!

Ter uma bandeira de seguradora confiável por trás da sua oficina é uma maneira eficiente de gerar novos negócios e se consolidar cada vez mais no mercado de reparação. Porém, nem todo gestor sabe como cadastrar oficina em seguradora, como o procedimento passo-a passo de cada etapa, documentação exigida, condições obrigatórias, etc.

Em um país como o Brasil, em que as pessoas são apaixonadas por carros, ser uma oficina referenciada por uma seguradora é um diferencial importante, não só para atrair novos clientes, mas também para oferecer um serviço de alta qualidade. Neste artigo você aprenderá tudo sobre o tema e o que deve fazer para se tornar uma oficina autorizada. Continue a leitura e acompanhe.

Ser uma oficina credenciada é vantajoso?

Ser uma oficina credenciada de uma seguradora significa que o seu estabelecimento será um dos parceiros indicados aos segurados da empresa, sempre que eles precisarem realizar algum tipo de conserto ou reparo em seus veículos.

Por mais que a apólice garanta o direito do segurado levar o carro na oficina de sua escolha em caso de sinistro, o mais comum é que ele opte pela escolha de um estabelecimento que esteja entre os indicados pelo seguro. Isso porque, caso o serviço não fique 100%, existe a garantia de que ele será refeito.

Além disso, para ser uma oficina indicada, exige-se um processo rigoroso, a fim de certificar que a empresa fornecerá um serviço de alto nível. Dessa maneira, a seguradora tem como garantir que o trabalho executado terá a qualidade como grande diferencial. Outra grande vantagem é que as oficinas credenciadas trabalham apenas com peças originais, o que garante melhoria nos processos e gera credibilidade com o cliente.

De modo geral, não se pode afirmar com precisão se somente o credenciamento em uma seguradora será capaz de trazer uma grande margem de lucro. Porém, com certeza o credenciamento será capaz de gerar aumento no volume de negócios, favorecendo assim a melhoria no faturamento e aumentando a projeção da empresa no mercado.

Como cadastrar oficina em seguradora?

Documentação

O primeiro passo para cadastrar a oficina na seguradora é apresentar a documentação exigida. É importante que os documentos estejam em dia e totalmente de acordo com as normas exigidas. Caso contrário, aparecerão objeções.

O ideal é que o proprietário da oficina se informe sobre os documentos exigidos e, caso seja necessário, regularize pendências como impostos, irregularidades de atuação, falta de alvarás, etc., a fim de evitar possíveis impedimentos.

Adequação do local

Para ser uma oficina credenciada, é preciso oferecer um espaço físico condizente com o volume de serviço e padrão de qualidade oferecidos ao segurado. Isso exige da empresa uma estrutura compatível com o trabalho a ser prestado.

O ambiente precisa estar organizado e pronto para receber os ajustes necessários. Além do mais, é necessário ter a área de trabalho delimitada. Assim, a grande quantidade de serviços não prejudicará o desempenho dos trabalhos.

Treinamentos

As seguradoras oferecem cursos e treinamentos técnicos com o objetivo de aperfeiçoar os serviços e garantir que os trabalhos sejam realizados sempre de acordo com o procedimento correto, ou seja, sem improvisações. Sendo assim, é fundamental que a oficina esteja ciente do compromisso assumido e se disponha a manter seus colaboradores alinhados com as exigências e expectativas do cliente.

A grande vantagem é a formação e a manutenção de um quadro profissional altamente qualificado e capaz de trabalhar com produtividade e compromisso com um serviço de qualidade. Com o tempo, os resultados vão serão o destaque e consolidarão a sua marca como referência de mercado.

Testes teóricos e práticos

A seguradora deseja se certificar de que o serviço oferecido realmente será capaz de atender as necessidades de seus segurados, principalmente em um momento de maior necessidade, como é o caso em que o sinistro precise ser acionado. Dessa forma, é comum que sejam aplicados testes teóricos e práticos às oficinas, que, por sua vez, precisam comprovar sua capacidade técnica e operacional.

O ponto positivo dessas ações é a garantia de um padrão de excelência, o que tende a deixar o cliente satisfeito e, consequentemente, melhorar a relação da empresa com seus consumidores.

Como o cadastro em uma seguradora pode ajudar a sua oficina?

O primeiro ponto é o aumento de credibilidade da sua oficina. Em um mercado tão competitivo e diante de clientes cada vez mais exigentes, é importante estar sempre pronto para oferecer diferenciais que fidelizem seu público. Outro ponto a ser considerado é a possibilidade de aumentar o volume dos negócios, já que a tendência é que a seguradora indique sua empresa para os segurados em caso de sinistro.

Não existe uma resposta 100% precisa em relação à maneira como ser credenciada de uma seguradora pode favorecer uma oficina, já que as necessidades de cada empresa são específicas e os objetivos planejados são diversos. Porém, essa certificação pode ser vista como uma espécie de selo de qualidade, que comprova o compromisso da sua empresa com a satisfação dos clientes e a eficiência nos trabalhos.

Os demandantes por serviços em carros estão entre os consumidores que mais valorizam a relação de confiança. Portanto, se a sua oficina apresenta aprovação de empresas comprometidas com a segurança do cliente e sua família, é um ponto positivo considerável que certamente terá um peso na hora da decisão.

Independente do porte da oficina, é fundamental que o gestor analise com calma todos os cenários e possibilidades, a fim de promover um crescimento sustentável de sua empresa e oferecer um serviço de acordo com as exigências da seguradora e as necessidades dos clientes. O ideal é estudar o mercado com visão estratégica e traçar um plano de ações que devem ser entendidas e implementadas por todos os colaboradores e membros da equipe.

Esclareceu suas dúvidas sobre como cadastrar oficina em seguradora? Essa questão é importante, pois gera credibilidade para seus negócios, além de consolidar a sua marca como uma empresa de grande qualidade e confiança. Os resultados podem ser mensurados no aumento do faturamento, assim como na fidelização dos clientes.

Agora queremos saber sua opinião e experiências vividas. Deixe seu comentário, pergunta, sugestão ou dica. Será um prazer saber o que você tem a dizer sobre esse assunto!

Pós-venda em oficina de funilaria e pintura: por que é importante?

O pós-venda é um serviço oferecido ao cliente depois que a venda do serviço é concretizada. O principal objetivo desse tipo de ação é continuar o relacionamento com o cliente e fortalecer, assim, o laço entre ele e a oficina, promovendo um vínculo de respeito entre as partes envolvidas.

Diante disso, um pós-venda bem estruturado faz com que o cliente de funilaria e pintura se mantenha satisfeito com os trabalhos prestados, de modo que, quando ele precisar novamente, volte a procurar a oficina de referência.

Além disso, existem ótimas chances de o cliente fazer indicações para amigos e familiares que também estejam precisando. Neste artigo, vamos falar sobre o tema e abordar sua relevância para aumentar a lucratividade da sua oficina. Acompanhe as próximas linhas.

Como o pós-venda deve ser feito em oficinas de funilaria e pintura

Um serviço de pós-venda bem executado é uma ferramenta capaz de potencializar os resultados do só negócio, e não somente deixar o cliente feliz como também fazer com que ele se lembre sempre da sua empresa, além de indicar para amigos e familiares.

Existem diferentes ações de pós-venda que podem ser usadas para melhorar a relação com o cliente. Para decidir qual deve ser usada, é preciso que você conheça os perfis de pessoas que gostam da sua empresa e segmente quais são as ações mais indicadas de acordo com cada perfil. Entre as estratégias que podem ser aplicadas estão:

  • pesquisa de satisfação;
  • rapidez na resposta;
  • Serviço de Atendimento ao Cliente, ou seja, um canal de contato exclusivo para os seus clientes;
  • redes sociais;
  • email marketing;
  • CRM (gestão de relacionento com clientes).

Motivos para realizar o pós-vendas no seu negócio

Indicação de novos negócios

Todo consumidor deseja ser bem atendido em todos os momentos do processo de compras, porém nem sempre as empresas se dão conta de que o padrão de atendimento também deve se manter com qualidade depois do negócio finalizado.

Acontece que quando o padrão do atendimento é diferenciado, o cliente se sente valorizado e sempre volta a fazer negócios com a empresa, gerando assim novas negociações e aumentando a lucratividade.

Fidelização dos clientes

Ter um bom pós-venda é uma maneira de fazer com que o cliente desenvolva uma ligação diferenciada com sua oficina, já que ele será sempre lembrado por ela, e há a tendência de retribuir e voltar a fazer negócio sempre que precisar.

Vantagem competitiva

Um serviço de pós-venda em oficina de funilaria e pintura eficiente e bem alinhado pode ser um importante diferencial, uma vez que os consumidores estão cada vez  mais exigentes e bem informados.

Diante da competitividade do mercado, você deve adotar estratégias com foco na qualidade, não só durante o processo de captação e execução do serviço, mas também depois de sua finalização.

Upsells sem custo de aquisição

Um serviço de pós-venda bem estruturado é capaz de aumentar o volume de vendas e consequentemente o ticket médio de cada cliente, favorecendo assim o crescimento constante e fortalecimento da sua empresa no mercado.

Neste artigo, falamos sobre a importância do pós-venda em oficina de funilaria e pintura para otimizar os recursos e potencializar os ganhos. Com um planejamento estratégico e uma equipe bem treinada e comprometida, é possível alcançar resultados positivos e promover o fortalecimento da empresa diante dos concorrentes.

Também é importante ressaltar que o gestor precisa analisar sua oficina, a fim de saber diferenciar os tipos de pós-venda existentes e aplicar a estratégia que melhor se adapte ao seu negócio.

Gostou do artigo? Então siga-nos no Facebook, LinkedIn e Twitter para acompanhar mais novidades.

Veja agora como melhorar a gestão da oficina por meio de auditoria

Nem todas as oficinas entendem a importância ou sabem como melhorar a gestão por meio de auditoria. Esse processo, que inclui uma verificação completa de todos os setores, é visto como algo custoso e que não traz resultados práticos para o negócio. Porém, ela é considerada uma ferramenta de gestão, que resulta no crescimento de qualquer empresa.

Neste post, você entenderá melhor como funciona o processo de auditoria e quais são os seus objetivos em uma empresa ou no caso, em uma oficina. Continue a leitura!

Qual é a função de uma auditoria?

O processo de auditoria é a verificação minuciosa de todos os processos da empresa, a fim de saber se eles estão de acordo com o que foi estipulado inicialmente e se estão dentro da lei. Ele tem como objetivo identificar possíveis problemas internos e garantir que não haja erros que comprometam os resultados financeiros.

Uma gestão mais eficiente das finanças da oficina tem a auditoria como uma aliada importante. Isso por que além de garantir que o seu negócio não passe por problemas fiscais, o que pode acarretar em multas e prejuízos, ela também melhora a administração, o que significa uma qualidade maior no serviço prestado.

As auditorias são divididas em internas e externas. No primeiro caso, o auditor é um funcionário da própria empresa que conhece a fundo todos os processos e é capaz de verificar se há irregularidades ou se há vulnerabilidades na gestão. Já um auditor externo não tem vínculo empregatício e é contratado para fazer essa análise.

É importante destacar que não é todo mundo que pode ser um auditor contábil. É necessário ter formação em Ciências Contábeis, ter o registro no Conselho Regional de Contabilidade (CRC) e passar no exame do Conselho Federal de Contabilidade (CFC). Por isso, a contratação de um auditor externo é a mais indicada, principalmente para oficinas de menor porte.

Como melhorar a gestão por meio de auditoria?

A auditoria tem alguns objetivos importantes, que fazem a diferença nos resultados da sua oficina. Confira os principais!

Garanta que os valores registrados estão corretos

O fluxo de caixa registra todas as entradas e saídas, ou seja, as movimentações financeiras da empresa. Esse cadastro é fundamental para ter uma visão mais ampla da situação do negócio, já que são verificados possíveis prejuízos nas transações. A auditoria confirma que esse registro é feito da forma correta.

Isso é um ponto básico, já que, em caso de erros ou registros inconsistentes, a empresa pode ter uma situação financeira diferente do que está no sistema. Além disso, um recolhimento de impostos mal feito gera multas e dívidas, o que resulta na necessidade de um contador verificar de perto esses números.

Assegure a utilização adequada do caixa

O capital de giro da empresa é o valor necessário para cumprir com todas as obrigações e arcar com os custos de funcionamento. Geralmente, é estipulado um número, que deve estar sempre disponível no caixa da oficina, a fim de evitar dívidas. A auditoria também serve para garantir que esses recursos são utilizados da forma correta.

Principalmente em oficinas menores, é comum que haja a necessidade de retiradas do caixa para realizar pagamentos esporádicos e inesperados. Porém, esse valor deve ser reposto com o faturamento seguinte dos serviços. O planejamento financeiro é fundamental para manter uma boa saúde financeira.

Identifique possíveis riscos

Um dos principais tipos de auditoria é a de qualidade, que inclui a detecção de falhas nos processos e uma melhoria contínua de toda a empresa. Ela serve para demonstrar aos gestores se o seu negócio está dentro das regras e, em caso de problemas, possibilita realizar a correção e verificar se a solução foi eficaz.

Essa auditoria calcula os riscos de todos os processos listados. Nesse sentido, os responsáveis pelas área explicam como funciona cada setor e ocorre uma análise de cada fluxo de atividade criado. Quanto mais rigorosa for essa etapa, mais fácil de identificar as falhas e observar possíveis melhorias na empresa.

Certifique que as ferramentas financeiras são seguras

Você utiliza algum software de gestão ou planilhas para controlar o fluxo de caixa da oficina? Um dos papéis da auditoria é confirmar que essas soluções são seguras ou se estão suscetíveis a erros que comprometem diretamente nos resultados financeiros da empresa.

Outro fator importante é a confirmação de que não houve desvios de dinheiro do caixa da empresa. Em empresas menores, essa prática é pouco comum porque é o próprio dono que controla as finanças. Porém, com o crescimento da oficina, é provável que um diretor financeiro seja contratado — e ele deve seguir as regras.

Qual a importância de uma gestão de compras eficiente?

Um dos principais objetivos de uma empresa é adquirir os recursos necessários pelo melhor custo-benefício, ou seja, com a melhor qualidade, o melhor preço e as melhores condições de entrega possíveis. Além disso, todo o processo deve seguir as regras legais, o que inclui a emissão de nota fiscal, por exemplo.

Nesse sentido, é fundamental o acompanhamento de especialistas nesse processo. O papel deles é garantir que não haja prejuízos e que o responsável pelas compras optou pela melhor oferta disponível. Antes de efetivar a aquisição dos recursos, é necessário uma pesquisa ampla e a realização de cotações com diversos fornecedores.

A utilização de uma plataforma de compra de autopeças, no caso da oficina, auxilia na certificação da qualidade dos materiais comprados. Nesse caso, os fornecedores passam por uma análise anterior e só podem disponibilizar os seus produtos se atenderem às regras da empresa. Achar a melhor oportunidade significa reduzir gastos e aumentar a margem de lucro.

Agora que você sabe como melhorar a gestão por meio de auditoria, não deixe de designar um auditor interno ou contratar alguém com essa certificação para realizar a adequação da sua oficina. Com processos mais definidos e uma administração mais eficiente, os resultados aparecerão em mais clientes, maiores vendas e, consequentemente, um maior faturamento.

A Cotexo é uma plataforma de compra e vendas de autopeças, que otimiza esse processo e garante um melhor controle para donos de oficina e fornecedores. Ficou interessado ou tem alguma dúvida? Entre em contato conosco!

Entrevista Rentável com: Eduardo Quevedo

Caro Rentável,

Neste segundo episódio conversei com Eduardo Quevedo sobre sua vivência como propritário da Consultoria Effectus, uma empresa que auxília na gestão e administração de mais de 200 oficinas automotivas no Brasil inteiro atualmente.

Confira a ótima conversa que nós tivemos para você que trabalha, gere ou administra uma oficina automotiva:

Entenda porque é importante que sua oficina tome medidas de segurança

O cuidado com o bem-estar de funcionários e clientes deve ser  prioridade em qualquer empresa. Por isso, é fundamental que você tome medidas de segurança em sua oficina de funilaria, para minimizar o risco de acidentes e melhorar a qualidade do atendimento prestado pela sua empresa.

Neste post, você entenderá a importância dessas medidas, além de conhecer quais são as principais práticas de segurança que devem ser adotadas. Continue a leitura!

Por que a segurança é fundamental na oficina de funilaria?

As tarefas realizadas dentro de uma oficina envolvem diversos riscos, por conta do manuseio de máquinas perigosas e substâncias tóxicas. Assim, é fundamental que todos os funcionários recebam os equipamentos necessários e o treinamento adequado para minimizar a chance de acidentes.

Esse suporte da empresa garantirá que todos saibam utilizar as máquinas da forma correta e que sejam cuidadosos com os objetos e materiais utilizados nos reparos. Nesse caso, a prevenção é a melhor forma de evitar esses problemas, que podem comprometer a integridade física dos colaboradores e gerar danos à oficina.

Quais são as principais medidas de segurança em uma oficina?

Treine os seus funcionários

Os seus funcionários precisam estar preparados para lidar com qualquer adversidade. Por isso, é ideal investir em programas de capacitação, para que todos entendam a importância dos equipamentos de prevenção e respeitem as regras de segurança estipuladas.

Também é preciso que os colaboradores saibam como agir em casos de incêndio e que conheçam técnicas de primeiros socorros. Uma boa preparação vai garantir que todos os integrantes da equipe façam as suas tarefas em segurança e sem o risco de prejuízos para a empresa.

Forneça EPIs

Os equipamentos de proteção individual (EPI) são acessórios de uso obrigatório para todos os funcionários da oficina. O seu objetivo é protegê-los de possíveis riscos durante as tarefas e preservar a integridade física de todos, o que deve ser uma prioridade máxima de qualquer administrador.

Os óculos e os protetores auriculares são fundamentais para proteger os olhos e ouvidos do contato com impurezas e materiais perigosos. Além disso, os empregados também devem utilizar luvas, calçados e roupas especiais, sempre disponibilizados pela própria oficina.

Organize as ferramentas

Definir o local adequado para cada ferramenta não apenas agiliza os serviços realizados, mas também é uma medida de segurança. Quando elas não são conservadas da forma correta, aumenta o risco de acidentes com funcionários ou de danos acidentais nos automóveis durante a rotina de trabalho.

Além disso, dê atenção especial à limpeza da oficina de funilaria. Além de melhorar a qualidade do trabalho, um ambiente mais limpo e melhor iluminado é um atrativo para os clientes e diminui o risco de contaminação por materiais nos funcionários.

Utilize apenas peças de qualidade

Você já deve ter utilizado algumas ferramentas improvisadas para realizar um conserto ou agilizar alguma tarefa. Porém, apesar da economia de tempo, não é recomendado utilizar esses itens de maneira inadequada, já que traz riscos aos funcionários.

Além disso, somente compre peças de qualidade para a sua oficina. É possível encontrar promoções e melhores oportunidades com uma gestão de estoque eficiente, que planeje todas as necessidades com antecedência. Isso inclui os equipamentos de segurança, as ferramentas e os componentes utilizados nos reparos.

Estipule as áreas de manobra

A área de trabalho da sua oficina é bem sinalizada? Isso é fundamental para definir as rotas de circulação dos carros reparados e evitar confusões, que podem causar danos nos veículos ou atropelamentos. Essas demarcações precisam ser feitas por meio de placas ou pinturas e devem ser seguidas por todos.

Com essas medidas de segurança, você será capaz de melhorar o ambiente e fornecer uma melhor qualidade de trabalho aos seus funcionários. Isso impactará diretamente no serviço prestado e, consequentemente, no faturamento da sua oficina de funilaria.

E aí, curtiu essas dicas? Confira também o nosso artigo sobre a CPI das Seguradoras e como ela impacta nas oficinas de funilaria!

Page 1 of 3
>

Receba os Nossos Artigos Gratuitamente no seu Email!